A Modelagem de Informação da Construção Civil, ou Building Information Modelling (BIM), tem recebido a atenção da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) há alguns anos. Uma Comissão de Estudo Especial dedica-se ao tema e estão disponíveis oito normas técnicas que a partir de agora poderão oferecer suporte a uma decisão governamental. Trata-se do Decreto nº 10.036, emitido no dia 2 de abril, estabelecendo a utilização do BIM na execução direta ou indireta de obras e serviços de engenharia, realizada pelos órgãos e pelas entidades da administração pública federal.

Integrada à Estratégia Nacional de Disseminação do Building Information Modelling, instituída pelo Decreto nº 9.983, de agosto de 2019, a nova legislação define que o BIM será implementado de forma gradual, iniciando-se a primeira fase a partir de 1º de janeiro de 2021, com o desenvolvimento de projetos de arquitetura e engenharia, referentes a construções novas, ampliações ou reabilitações.

Na segunda fase, a partir de 1º de janeiro de 2024, o BIMdeverá ser utilizado na execução direta ou indireta de projetos de arquitetura e engenharia e na gestão de obras, referentes a construções novas, reformas, ampliações ou reabilitações, quando consideradas de grande relevância. A terceira etapa está prevista para começar em 1º de janeiro de 2028, sendo direcionada a obras de média ou grande relevância.

A disseminação do BIM estará vinculada, principalmente, às ações dos seguintes órgãos: Ministério da Defesa (nos imóveis da jurisdição do Exército, da Marinha e da Força Aérea Brasileira); do Ministério da Infraestrutura, por meio das atividades que coordena e executa; da Secretaria Nacional de Aviação Civil, para investimentos em aeroportos regionais; e do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), para reforço e reabilitação estrutural de obras de arte especiais.

O BIM caracteriza-se por um conjunto de tecnologias e processos integrados que permite a criação, a utilização e a atualização de modelos digitais de uma construção, de modo colaborativo, que sirva a todos os participantes do empreendimento, em qualquer etapa do ciclo de vida da construção.

Na ABNT

A normalização referente ao BIM, incluindo sistemas de classificação de elementos e componentes da construção, é de responsabilidade da Comissão de Estudo Especial de Modelagem de Informação da Construção (ABNT/CEE-134). Em seu acervo estão as seguintes normas técnicas:

O mesmo conjunto de documentos compõe a Coletânea Eletrônica de Normas Técnicas – Modelagem de Informação da Construção (BIM), uma publicação com quase 400 páginas e que vem sendo atualizada desde 2017, quando foi lançada. Todos estes recursos estão disponíveis na Loja Virtual da ABNT (www.abntcatalogo.com.br).

Sobre a ABNT

A ABNT é o único Foro Nacional de Normalização, por reconhecimento da sociedade brasileira desde a sua fundação, em 28 de setembro de 1940, e confirmado pelo Governo Federal por meio de diversos instrumentos legais. É responsável pela elaboração das Normas Brasileiras (NBR), destinadas aos mais diversos setores. A ABNT participa da normalização regional na Associação Mercosul de Normalização (AMN) e na Comissão Pan-Americana de Normas Técnicas (Copant) e da normalização internacional na International Organization for Standardization (ISO) e na International Electrotechnical Commission (IEC).

Desde 1950, atua também na área de certificação, atendendo grandes e pequenas empresas, nacionais e estrangeiras. Possui atualmente mais de 400 programas de certificação, destinados a produtos, sistemas e verificação de gases de efeito estufa, entre outros. A sociedade identifica na Marca de Conformidade ABNT a garantia de que está adquirindo produtos e serviços em conformidade, atendendo aos mais rigorosos critérios de qualidade. A ABNT Certificadora tem atuação marcante nas Américas, Europa e Ásia, realizando auditorias em mais de 30 países.

Assessoria de Imprensa

Monalisa Zia
imprensa@abnt.org.br

(11) 3017-3660

Sports brandsNike