Desde sua fundação, em 1940, a ABNT já adotou vários modelos de apresentação das normas técnicas. Inicialmente as normas eram identificadas conforme sua aplicação: CB –Classificação Brasileira, EB- Especificação Brasileira, MB – Método de Ensaio Brasileiro, NB- Procedimento Brasileiro, PB- Padronização Brasileira, SB- Simbologia Brasileira e TB- Terminologia Brasileira. Internamente, essas normas são chamadas de alfanuméricas.

Em 1979, o Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro) passou a homologar algumas normas publicadas pela ABNT, dando a elas outra numeração, com a sigla NBR. Com isso, passaram a existir normas com uma e com duas identificações. Situação que perdurou até 1992, quando o Inmetro deixou de registrar as normas e delegou a atividade à ABNT, que passou a usar apenas a sigla NBR.

A ABNT teve suas normas publicadas também com diferentes formatos: eram onze até o final de 2008. Com a criação da Gerência de Editoração e Acervo (ABNT/DT/GEA) identificou-se todos os formatos existentes até então e iniciou-se um trabalho de digitalização, digitação e atualização das Normas. Os onze formatos foram reduzidos para apenas quatro.