Segundo a Organização Mundial do Turismo (OMT), em 2020, cerca de 2 bilhões de pessoas estarão viajando pelo mundo, o que traz a perspectiva de realização de  centenas de milhares de relações comerciais. Assim como em outros setores, a normalização internacional surge como alternativa de diálogo entre os atores do setor de turismo, possibilitando a convergência de interesses dos provedores de serviços, dos consumidores e de outras partes interessadas. 

Diante desse cenário, em 2006, a ISO propôs e foi aprovada a criação do Comitê  Técnico de Turismo - ISO TC 228, com a participação de cerca de 60 países, incluindo o Brasil, por meio do Comitê Brasileiro de Turismo (ABNT/CB-54). Quatro anos depois, o Brasil foi escolhido para sediar a 5ª Reunião Plenária daquele Comitê, realizada em abril, em Foz do Iguaçu.

Precedendo a plenária, vários grupos de trabalho ( Working Groups – WG) do ISO TC 228 se reuniram, entre eles o WG 3 (Posto de Informações Turísticas), WG 5 (Turismo e Praias) e o WG 7 (Turismo de Aventura), coordenado pelo Brasil e Inglaterra.

O Brasil esteve presente com uma delegação de 14 pessoas, representantes da Federação Nacional dos Hotéis, Bares, Restaurantes e Similares (FNHBRS), Sindicato dos Hotéis, Bares, Restaurantes e Similares do Rio de Janeiro e de Foz do Iguaçu, Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura (Abeta), Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH), Unioste, Ministério do Turismo, Instituto Pólo Iguassu e ABNT/CB-54.