Entra em vigor no dia 12 de maio a Norma Brasileira de Desempenho de Edifícios- ABNT NBR 15.575, Partes 1 a 6. Com isso, os sistemas que compõem os edifícios, como as instalações hidrossanitárias, estruturas, pisos, fachadas e coberturas, dentre outros, terão de atender obrigatoriamente a um nível de desempenho mínimo ao longo de uma vida útil.


Um marco importante para a aplicação do conceito de desempenho foi a elaboração da ISO 6241, em 1984, que definiu uma lista-mestra de requisitos funcionais dos usuários de imóveis. Essa ISO ainda é válida como referência para a consideração dos requisitos de desempenho a serem atendidos. A lógica é a mesma adotada na Norma Brasileira de Desempenho, com os requisitos enquadrados num nível qualitativo (a segurança estrutural, por exemplo), os critérios quantitativos (como a resistência de uma viga) e os métodos de avaliação para a verificação do atendimento ou não do critério.