Frente à crise econômica que afeta o País no momento, a ABNT tem trabalhado arduamente para superar as dificuldades que se apresentam. Claro que cada um tem que fazer a sua parte, e precisamos que todos os setores, governo, indústria e sociedade estejam alinhados para que tudo flua favorecendo a todos.  E é aí que nos sentimos no dever de continuar nossos esforços em prol do crescimento da economia do Brasil.

Desde sua fundação a ABNT se preocupa em contribuir para o desenvolvimento da indústria e do comércio. Antes, a normalização era mais restrita a setores como construção civil e siderurgia. Era quase que poético fazer uma norma. Porém, com o passar dos anos e visando expandir para mais setores os benefícios que a norma proporciona, a ABNT foi se inserindo em outras áreas, se preocupando cada vez mais em acompanhar a evolução tecnológica e dos mercados e identificando os interesses da sociedade como um todo, aumentando assim a sua atuação.

Um Plano Estratégico foi elaborado e recursos foram destinados para aumentar a participação da ABNT nos níveis de gestão e técnico nas maiores instituições mundiais, International Organization for Standardization (ISO) e a International Electrotechnical Commission (IEC), obtendo cargos de grande influência nos destinos da normalização internacional. E qual era a nossa missão? Defender os interesses do Brasil nas questões de comércio e desenvolvimento utilizando a normalização como facilitadora.

Conseguirmos liderar e expandir a nossa participação em outros segmentos, como nos Comitês Internacionais de Avaliação da Conformidade, naqueles que discutem a Política de Normalização para países em desenvolvimento, no Comitê de Política do Consumidor, onde tomamos conhecimento de suas necessidades e expectativas de forma global, e no Comitê que desenvolve o Planejamento Estratégico da Normalização internacional, onde contribuímos com a experiência brasileira, como a sétima economia do mundo. Além disso, agregamos à nossa atuação o pioneirismo de liderarmos o grupo de trabalho que elaborou a norma de Responsabilidade Social, com a parceria da Suécia – um marco na normalização internacional, pois incluiu outros atores como sindicatos, representantes de trabalhadores e de organismos sociais. Visando intensificar a nossa abordagem, ampliamos as nossas parcerias nos setores de Alimentos, Gestão Ambiental, Compras Sustentáveis, Gestão de Energia, Produtos de Petróleo, Sustentabilidade, Produtos Florestais, e outros, fortalecendo a nossa posição como grande “player” da normalização.

Hoje, a ABNT é forte e reconhecida, tanto nacional como internacionalmente. Somos líderes do Mercosul e estamos presentes nos acordos da Organização Mundial do Comércio (OMC), firmando mais de 50 acordos de cooperação internacionais com os principais centros tecnológicos e mercadológicos do mundo, visando facilitar o comércio, eliminar possíveis barreiras técnicas e garantir a competitividade dos produtos e serviços brasileiros.

Foram mais de 26.000 técnicos envolvidos em aproximadamente 420 reuniões, só em 2015.

Ressaltamos também nossa participação auxiliando o Governo Federal em seus esforços de ampliar o comércio bilateral, principalmente no que tange à Convergência Regulatória.

Ao mesmo tempo, com o objetivo de difundir uma cultura da normalização para que as quase cinco milhões de Micro e Pequenas Empresas brasileiras acessem o mercado globalizado, com a oferta de produtos e serviços competitivos, realizamos uma parceria com o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), cuja capilaridade nos 27 Estados facilita este objetivo. Assim, estamos conseguindo inserir as normas técnicas nos Pequenos Negócios, como elemento de inovação e sustentabilidade, proporcionando o suporte ao empreendedor de como se deve aplica-las, a fim de melhorar a qualidade dos seus processos e produtos, bem como, incentivando a sua participação na elaboração das normas técnicas.

 

Em complemento, temos também uma parceria com o Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Confea/Crea/Mútua) e com o Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU), para facilitar o acesso e a participação destes profissionais na normalização brasileira e internacional.

Pensa que acabou? Não! No esforço de conscientizar a sociedade da importância da normalização desde a sua formação, levamos este conhecimento às universidades. Hoje são mais de 70 delas que possuem os serviços da ABNT e proporcionam aos seus alunos o acesso às normas. Além disso, realizamos palestras e temos o curso de Normalização na grade curricular de reconhecidos Centros de Ensino. Oferecemos cursos de capacitação a quem interessa se especializar, e nossos planos vão além. Quem sabe um dia não teremos nas escolas infantis nossos pequenos aprendendo desde cedo a importância e os benefícios da normalização?. A criança que cresce com essa cultura será o profissional de amanhã realizando seu trabalho com qualidade e segurança. Afinal, a norma ajuda as pessoas a exercerem sua cidadania.

Toda essa atuação vem de um planejamento que envolve toda a ABNT. Profissionais e recursos financeiros são disponibilizados, juntamente com os técnicos das indústrias parceiras e representantes do governo e da sociedade.

Este processo não tem fim. Estamos atuando sempre em prol do desenvolvimento do País e das necessidades da sociedade. O trabalho não é fácil. Não temos tempo a perder. É fundamental termos a consciência de que estamos fazendo a nossa parte e temos que fazer muito mais, afinal ainda somos a sétima economia mundial.