Com o objetivo de controlar o aumento da temperatura média global, o Acordo de Paris instituiu um processo com metas individuais de cada país para a redução de emissões de gases de efeito estufa. Nesse contexto, o Brasil comprometeu-se a reduzir 37% das emissões até 2025, com indicativo de cortar 43%, até 2030. Um dos motivos para a liberação de gás carbônico na atmosfera se deve à geração e ao consumo de energia.

Utilizar fontes de energia alternativa diminuem as emissões de gases de efeito estufa, contribuindo para a desaceleração do aquecimento global.  A maioria das fontes de energia alternativa é renovável, tais como: a energia solar, a eólica, a hídrica (ou hidráulica) e a geotérmica.

A ABNT, por meios de seus comitês técnicos desenvolve normas voltadas para a utilização dessas fontes de energia:

ABNT NBR IEC 61400-21:2010  - Turbinas eólicas  - Parte 21: Medição e avaliação das características da qualidade da energia de aerogeradores conectados à rede

ABNT NBR 10899:2013  - Energia solar fotovoltaica — Terminologia

ABNT NBR 16149:2013 - Sistemas fotovoltaicos (FV) – Características da interface de conexão com a rede elétrica de distribuição

ABNT NBR 15747-1:2009  - Sistemas solares térmicos e seus componentes - Coletores solares

ABNT NBR 15569:2008   - Sistema de aquecimento solar de água em circuito direto - Projeto e instalação

Para saber mais acesse nosso site www.abnt.org.br

#energyefficiency  #Cop22