Da esquerda para a direita: Antonio Parente, coordenador de Certificação de Sistemas da ABNT; Carlos Santos Amorim Jr., diretor de Relações Externas da ABNT; Milton Garbugio, presidente da Abrapa; Ricardo Fragoso, diretor-geral da ABNT; Félix Balaniuc, diretor executivo do IAS; Odilão Baptista Teixeira, diretor-adjunto de Negócios da ABNT e Fernando Rati, gestor de sustentabilidade da Abrapa.



A diretoria executiva da ABNT recebeu hoje (12/09) em seu escritório, em São Paulo, o presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa), Milton Garbugio, o gestor de Sustentabilidade e Banco de Dados, da Abrapa, Fernando Rati, e o diretor executivo do Instituto Algodão Social (IAS), Félix Balaniuc para discutir sobre um novo programa a ser implantado em breve que vai certificar as Unidades Beneficiadoras de Algodão (UBA).

Segundo Garbugio,"o Programa Algodão Brasileiro Responsável (ABR) é um programa que já tem grande aceitação e tem trazido muitos benefícios, não só para o produtor, como para toda a cadeia do Algodão. Já temos a certificação do nosso algodão brasileiro, e agora visamos estender isso à todas as unidades beneficiadoras do algodão, fazendo com que todo o processo, do início ao fim, esteja conforme os padrões de qualidade. Isso trará benefício para todos, inclusive para o consumidor final que ficará satisfeito e tranquilo, pois estará adquirindo produtos com fibra natural, produzida com responsabilidade social e ambiental."

Em breve, o Programa de certificação para as UBAs terá seu lançamento anunciado.


Programa ABR

 

Lançado pela Abrapa no final de 2012, o programa Algodão Brasileiro Responsável (ABR) é fruto do pioneirismo do IAS, que criou o Selo "Algodão Socialmente Correto", em parceria com a ABNT, em 2007, comprovando o respeito às normas trabalhistas e ambientais na produção da fibra em Mato Grosso. 

 

Em 2009, a Abrapa levou essa experiência pioneira aos demais estados produtores de algodão por meio do Programa Socioambiental da Produção de Algodão (Psoal).

 

Financiado com recursos do Instituto Brasileiro do Algodão (IBA), o programa ABR representa a síntese da união dos cotonicultores brasileiros em prol de uma melhor produção em todo País, já que une os protocolos dos programas do IAS e do Psoal numa única regra de certificação, que passou a valer a partir da safra 2012/13.

 

A adesão a esse tipo de programa é voluntária e representa um avanço na consolidação da cotonicultura em Mato Grosso e nos demais estados produtores de algodão do Brasil, assegurando a posição do País entre os cinco maiores players do mercado mundial da pluma.

 


IAS

Desde a safra 2007/2008, o Instituto Algodão Social (IAS) vem ampliando as adesões de produtores interessados em obter o Selo de Conformidade Social, um mecanismo pioneiro de certificação na agricultura brasileira que atesta a origem do produto cultivado por empreendedores rurais do Estado de Mato Grosso, bem como o respeito aos direitos dos trabalhadores no campo. A iniciativa tem a parceria da ABNT, que realiza as auditorias e garante a total transparência dos processos.

Boots