Compromisso com o desenvolvimento do País é reiterado em mais um aniversário.
     

 

A criação da ABNT está ligada è evolução da construção civil e ao domínio do uso do concreto armado, assim como à necessidade de se estabelecer padrões que acabassem com as divergências nos ensaios feitos em laboratórios nacionais. Hoje, estão em atuação cerca de 300 Comitês Técnicos que, sob gestão da ABNT, são responsáveis pela elaboração de mais de 8 mil documentos normativos, muitos deles utilizados para implementação de políticas públicas.

Desafios, lutas e conquistas permeiam a trajetória da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) desde a sua fundação, em 28 de setembro de 1940, no Rio de Janeiro. Reconhecida pela sociedade e pelo Governo Federal como único Foro Nacional de Normalização, a entidade chega aos 79 anos mantendo firme o propósito de fornecer a base necessária para o desenvolvimento tecnológico do País.

Comprometida com o desenvolvimento brasileiro, de forma sustentável, nas dimensões econômica, social e ambiental, a ABNT se mantém atualizada com o que ocorre nos cenários regional e internacional da Normalização e também oferece relevantes contribuições.

Normas Brasileiras de turismo de aventura, por exemplo, estão sendo utilizadas como base para documentos internacionais na International Organization for Standardization (ISO). E tem sido crescente a atuação nas áreas de tecnologia da informação, sistemas de gestão e informática em saúde, entre outras, além da conquista de posições de liderança em Secretarias daquele organismo.

O presidente do Conselho Deliberativo, Pedro Buzatto Costa, lembra que quando assumiu, em 2003, a ABNT enfrentava tempos difíceis, mas resistiu porque havia união de todos os dirigentes, colaboradores e associados em torno de um patrimônio nacional. Prestes a transmitir o cargo ao seu sucessor, Mario William Esper, ele afirma: “M
inha postura sempre foi a de dirigir olhando o para-brisa e não o retrovisor”. O longo caminho percorrido nestes 79 anos sinaliza apenas o futuro.