Rogério Simonetti Marinho, Ministro de Estado do Desenvolvimento Regional.

Mario William Esper, presidente ABNT.


Foi realizada hoje, com a maioria de seus membros participando remotamente, a Reunião Conjunta do Conselho Superior da Indústria da Construção (CONSIC) e do Departamento da Indústria da Construção e Mineração (DECONCIC), pertencentes à Fereração das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). Por motivos de saúde, o presidente Paulo Skaf não pode presidir a reunião, mas teve como representantes, além do vice-presidente da Fiesp e  presidente do CONSIC, Dr. José Carlos de Oliveira Lima, o vice-presidente do CONSIC, Sr. Manuel Carlos de Lima Rossitto e o presidente da ABNT,  Mario William Esper.


Na ocasião, Esper e Rossitto participaram presencialmente na Fiesp para poder receber o Ministro de Estado do Desenvolvimento Regional, Sr. Rogério Simonetti Marinho e o Secretário Nacional de Habitação, Sr. Alfredo Eduardo dos Santos.

O assunto da pauta foi sobre "Planejamento e Ações de Interesse da Indústria da Construção em Curso no Ministério do Desenvolvimento Regional". O Ministro falou sobre as perspectivas de retomada do desenvolvimento nacional nas áreas de habitação, mobilidade urbana e saneamento.

Mario William parabenizou o Ministro pelo excelente trabalho que tem feito e ressaltou o andamento e a importância do convênio que a ABNT, a Associação Brasileira do Cimento Portland (ABCP), a Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção (Anamaco) e a Fiesp possuem em conjunto com o Ministério sobre mobilidade urbana, cujo objetivo é transferir conhecimento, desenvolver normas, disponibilizar informações e promover capacitação, visando apoiar o deslocamento ativo (pedestres e ciclistas), de modo seguro, acessível e sustentável, e estabelecer parâmetros técnicos associados à implementação de abrigos e estações de ônibus e terminais de transporte coletivo urbano.

"Como único foro nacional de Normalização, a ABNT tem papel primordial na elaboração de documentos que consolidam a melhor experiência e prática na execução e aplicação dos projetos, produtos, serviços e sistemas construtivos que contribuem para que a cadeia produtiva da indústria da construção atenda aos anseios da iniciativa privada e da sociedade civil na urbanização das cidades", ressaltou Esper.

Além disso, também destacou que a ABNT recentemente elaborou uma norma que fala sobre o tratamento e transformação do resíduo sólido urbano em combustível. "Isso vai colaborar muito com o término dos lixões. O Brasil tem hoje a maior reserva de água doce subterrânea do mundo, que é o Aquífero Guarani. Existem diversos lixões sobre o Aquífero, o que já está afetando e contaminando esse espaço. Então é importante o tratamento desses resíduos sólidos urbanos, não só a reciclagem, mas o tratamento como um todo transformando em combustível, tanto para energia elétrica como para térmica. Sabemos o quanto o seu Ministério está empenhado neste assunto, acompanhamos o seu trabalho e nos colocamos à disposição para ajudar nesse sentido", finalizou Mario William.

Aproximadamente 95 empresários do setor da construção participaram da reunião.