Parceiras na iniciativa, a
ABNT e a Associação Brasileira de Relações Institucionais e Governamentais (Abrig) lançaram oficialmente a ABNT PR 1001:2020, o documento de Prática Recomendada para Relações Institucionais e Governamentais (RIG) que fornece orientações e recomendações de conduta e de atuação pelas quais profissionais e organizações do setor devem se pautar em suas atividades. O lançamento foi transmitido pelo canal da ABNT no youtube e pode ser conferido no link https://www.youtube.com/watch?v=ptWJ-oIHf6w.

Na abertura, o presidente da ABNT, Mario William Esper deu boas-vindas aos convidados e falou um pouco sobre a Prática. Ressaltou que O documento atende demanda crescente por práticas éticas e transparentes no campo das Relações Institucionais e Governamentais e deverá proporcionar evolução nas formas de gestão do diálogo institucional entre representantes da sociedade e autoridades constituídas, visando entendimento permanente. Foi elaborado com base na experiência de organismos reconhecidos em âmbito mundial como, principalmente a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), a Transparência Internacional e União Europeia.

A presidente da Abrig, Carolina Venuto, comemorou a conquista, pois considera um importante e pioneiro passo no sentido da autorregulação. “Esta Prática Recomendada trará mais luz ao exercício da atividade de RIG e, sem dúvida, servirá de balizamento para uma regulamentação legal que mais cedo ou mais tarde virá”, ela afirma.

O ex-presidente da Abrig, Guilherme Cunha Costa, agradeceu todo o apoio da ABNT pela prontidão de aceitar a proposta de elaboração da norma.

A Prática Recomendada, documento de caráter orientativo cuja adoção é voluntária, vem se somar a esses esforços. Mario William, destacou a contribuição do material da OCDE utilizado como referência, pois reúne normas e outros documentos do mundo todo. Por sinal, a OCDE, da qual o Brasil participa desde 2017, recomenda que seus países-membros tenham legislação específica sobre o tema. “A ABNT teve permissão da OCDE para usar esse documento como base, reuniu os profissionais mais competentes do Brasil junto com a Abrig e elaborou essa Boa Prática, que vem sendo muito bem vista pela sociedade brasileira”, relatou Esper.

A elaboração da ABNT PR 1001:2020 esteve a cargo de um Grupo de Trabalho criado em 2019 e composto por representantes da ABNT e da Abrig. A expectativa é de que o documento possa desempenhar papel importante na promoção da integridade profissional, deixando clara a conduta esperada daqueles que atuam em RIG.

De acordo com a Abrig, os profissionais de RIG são uma parte importante da democracia e podem e devem trabalhar com transparência e às claras, com regras estabelecidas e conhecidas por todos. Assim, toda a sociedade ganha e o Brasil entra em um patamar no qual dezenas de outros países desenvolvidos já estão.

Também participaram do evento o deputado Roberto de Lucena,Secretário da Transparência da Câmara dos Deputados;o chefe da assessoria de cerimonial e relação institucional do Tribunal de Contas da União (TCU), Karla Cristina Ferreira; asecretária de turismo do Distrito Federal, Vanessa Chaves de Mendonça; o diretor-geral da ABNT, Ricardo Fragoso; o diretor de normalização da ABNT, Nelson Al Assal; o gerente de normalização internacional da ABNT, Eduardo São Thiago; a vice-presidente da Abrig, Ivonice Campos; a coordenadora do Comitê Regulamentação Abrig, Fabiany Moreira e a gerente da Abrig, Joana Silva.