Mario William Esper, presidente da ABNT.

 

Foi realizada no dia 23 de setembro, a Mesa Redonda para contextualizar o recente lançamento da Prática Recomendada ABNT PR 1001- Relações Institucionais e Governamentais (RIG), elaborada em parceria com a Associação Brasileira de Relações Institucionais e Governamentais (Abrig).

O debate proposto pela Matchmaking Brazil teve como ponto de partida os modelos adotados em outros países no que se refere à regulamentação do lobby, sendo que em alguns países há uma legislação específica e outros não há.  É destaque que em alguns países há uma auto-regulamentação, o que em alguns casos se assemelha à Prática Recomendada ABNT PR 1001.

A Mesa Redonda foi composta pelos seguintes profissionais:

  • Bernhard J. Smid, Diretor Executivo da Matchmaking Brazil;  
  • Carolina Venuto, Presidente da ABRIG;
  • Mario William Esper, Presidente da ABNT;
  • Miguel Gerônimo da Nobrega Netto, Chefe da Assessoria Técnica da Diretoria Legislativa, Diretor Legislativo Adjunto da Câmara dos Deputados e Professor da FGV;
  • Nicholas Moreno, Relações Institucionais e Governamentais, Matchmaking Brazil (apresentação de estudo comparativo);
  • Paulo Kramer, Cientista político, professor universitário, Assessor Parlamentar e Palestrante.

O presidente da ABNT, Mario William, fez sua apresentação falando um pouco do panorama geral das atividades da ABNT e enfatizando todo o empenho para a elaboração da PR 1001. “Esta Prática Recomendada para Relações Ins­titucionais e Governamentais (RIG) aplica-se aos profissionais e organizações que atuam nessa área, bem como serve de referência para o governo e a sociedade em geral. Fornece orientações e estabelece regras de conduta e de atuação pelas quais os agentes de RIG se pautam em suas atividades”, ressaltou.

“Foi um documento elaborado em quatro meses e que teve a permissãooficial da OCDE para usar seu material como base, reunindo os profissionais mais competentes do Brasil junto com a Abrig”, destacou Esper.

Carolina Venuto, presidente da Abrig enfatizou que a ABNT foi fundamental na elaboração deste documento, pois garantiu a representatividade no grupo de setores diversos. Além disso, trouxe toda a expertise internacional para que pudessem realizar o trabalho.

Para assistir o evento na íntegra, clique aqui.