A ABNT participou de uma reunião com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e equipe, para discutir sobre a elaboração da norma para produto químico retardante para combate de incêndio florestal e sobre a proposta de uma norma internacional para definição de métrica para desmatamento.

Em sua apresentação, Mario William Esper, presidente da ABNT destacou o acervo de normas e a publicação de 15 Práticas Recomendadas ao longo de 2020. As Práticas Recomendadas são documentos normativos elaborados em curto prazo de tempo. Além disso, ressaltou a nova Lei de Liberdade Econômica que afeta diretamente a normalização, explicando que se existir uma norma desatualizada com mais de 3 anos deve-se adotar uma norma internacional. Por esse motivo, destacou como de suma importância a participação ativa na normalização tanto nacional, quanto internacional, para que seja possível defender o posicionamento brasileiro. "A ABNT tem sido protagonista nos fóruns internacionais, levando temas sensíveis para a normalização internacional e também elaborando normas brasileiras. Hoje, temos um acervo de 8.600 normas, sendo que 29% já são normas internacionais.", destacou Esper.

Também teve destaque a Lei 14.133, de licitações e contratos administrativos, que estabelece maior isonomia competitiva aos fornecedores de produtos e serviços para a administração pública, minimizando a concorrência desleal; margem preferencial para bens e produtos em licitações nacionais e internacionais que atendam às normas técnicas; e inclui a obrigatoriedade de apresentação de prova de qualidade pelo fornecedor de produtos e serviços  através do atendimento às normas técnicas.

Também foi mostrado à equipe do Ibama todos os Comitês dos quais a ABNT, como representante do Brasil, participa na ISO como, Biodiversidade, Economia Circular, Sustentabilidade e Resíduos Sólidos. Sobre a Comissão de Estudo Especial de Gestão de Resíduos Sólidos (ABNT/CEE-246), Luiz Busatto, consultor e membro do Comitê explicou sobre os trabalhos em andamento.

Já sobre o obejtivo principal da reunião, Esper apresentou a proposta de criação de uma Prática Recomendada de Combate e Prevenção de Incêndios Florestais, que será baseada em normas internacionais e tem como previsão sua Consulta Nacional em junho deste ano, além da elaboração da futura norma internacional para Medição de Desflorestamento, que está ainda em fase de análise pela ISO.

Após as apresentações, foram ouvidos os comentários dos especialistas do Ibama sobre o tema, que inclusive revelaram que possuem grande interesse em participar junto à ABNT no desenvolvimento destes e de outros futuros trabalhos, complementando com suas expertises tudo o que for discutido sobre o assunto.