Carlos Eduardo Pedrosa Auricchio, Mario William Esper, Manuel Rossitto e Jonatas Dantas.

 

O presidente da ABNT, Mario William Esper, esteve em Araçatuba/SP no último sábado (29/05) para participar da abertura das provas oficiais da Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Quarto de Milha (ABQM).

Em seu discurso, Esper enalteceu a parceria com a ABQM para desenvolvimento de documentos normativos para o setor e a elaboração da Prática Recomendada de Equipamentos utilizados na prática de atividades esportivas equestres da raça de cavalos Quarto de Milha (ABNT PR 1008), dividida em cinco partes: Parte 1: Diretrizes gerais, Parte 2: Boas práticas e Bem-Estar Animal, Parte 3: Modalidade – Laço individual, Parte 4: Modalidade – Três tambores e Parte 5: Modalidade – Vaquejada.

A princípio, essas cinco partes foram elaboradas contemplando três modalidades, mas a intenção é que a ABNT desenvolva Práticas Recomendadas para as mais de 20 modalidades existentes que podem fazer parte dos eventos da ABQM. Além da ABNT PR 1008, foi desenvolvida também a ABNT PR 1004-4 - Operação segura em organizações durante situações de pandemia - Parte 4: Realização de eventos equestres — Provas equestres, montaria e exposições agropecuárias. O documento tem por objetivo fornecer estrutura operacional e recomendações técnicas de higienização e operação segura em eventos equestres de montaria, agropecuários e exposições, para prevenir propagação do vírus SARS-CoV-2 e proteger os praticantes e espectadores.

Para finalizar, anunciou o início da elaboração da primeira norma internacional sobre Equoterapia. O projeto será apresentado para a International Organization for Standardization (ISO) em meados de junho, onde deve ser instalada a Comissão para desenvolvimento dos trabalhos. Esta será a primeira norma sobre Equoterapia no pós-pandemia, para que pessoas com sequelas possam se beneficiar desse tipo de tratamento.

As provas, que começaram dia 26 de maio e vão até 06 de junho não contam com a participação do público este ano, devido à pandemia.  Apenas competidores e equipes técnicas, devidamente inscritos e credenciados, possuem acesso ao Parque Clibas de Almeida Prado, que conta também com um rígido controle na entrada.