Aconteceu hoje (17/06), a 2ª Reunião Extraordinária do Conselho Deliberativo da ABNT, que foi transmitida via zoom aos seu membros. O presidente Mario William Esper, o diretor-geral, Ricardo Fragoso, o Conselheiro da ABNT e presidente da Associação Brasileira de Avaliação da Conformidade (Abrac) e da Associação Brasileira dos Fabricantes de Brinquedos (Abrinq), Synésio Baptista da Costa e o advogado Sidney Stahl, da RSZ&M Soluções Jurídicas participaram presencialmente nas instalações da ABNT, em São Paulo.

Além dos Conselheiros, a reunião contou também com a participação do presidente do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), Marcos Heleno Guerson de Oliveira Jr. e também com a ilustre participação do Ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), Marcos Pontes e do Secretário de Empreendedorismo e Inovação no MCTI, Paulo Alvim. Em 80 anos de existência foi a primeira vez que um Ministro participou de uma reunião de Conselho da ABNT, o que mostra o reconhecimento que a entidade tem tido no último ano, perante o governo.

A pauta da reunião tinha assuntos como a apresentação da Agenda 2021, de eventos e reuniões da qual a ABNT participou até o momento, o Novo Modelo Regulatório do Inmetro, planejamento estratégico, participação internacional e governança corporativa, além das palavras do Ministro Marcos Pontes.

 


Logo no início, o presidente da ABNT aproveitou para passar algumas informações aos participantes, como a elaboração da norma internacional de desmatamento, que está em votação na ISO, a elaboração da futura norma internacional de Equoterapia, para tratar pessoas que ficaram com sequelas da Covid-19, e o status da participação internacional sobre Economia Circular.

Em seu pronunciamento, o Ministro parabenizou o trabalho da ABNT durante todos esses anos e principalmente neste último ano e cumprimentou todos os Conselheiros e suas organizações. “Estamos aqui para apoiar a inovação, ciência e tecnologia para ajudar o crescimento do nosso País. Nos colocamos totalmente à disposição da ABNT para contribuir com os trabalhos, que com certeza são muito importantes para o nosso desenvolvimento”, destacou Marcos Pontes.

Paulo Alvim, secretário de Empreendedorismo e Inovação do MCTI por sua vez ressaltou que é de suma importância a intensificação de normas técnicas em conjunto com as tecnologias prioritárias do Ministério em setores estratégicos como Cidades inteligentes, Nanotecnologia, Acústica e Economia Circular.

Mario Esper aproveitou para ressaltar que a ABNT está participando da Comissão Internacional da ISO de Grafeno, que tem a coordenação da Inglaterra, e que também está participando da Comissão de Lítio, requisitada recentemente pela China, que será muito importante para a eletrificação. Sobre Economia Circular, está bem engajada nas atividades do Comitê internacional e, se a pandemia permitir, já foi autorizado pela ISO que o Brasil sedie no final do ano, a reunião anual sobre Economia circular, com a participação de 80 países, o que será uma grande oportunidade para inserir nosso País ainda mais neste tema.

“Temos a norma de métricas de desmatamento, que até o início de agosto devemos ter a autorização para instalação da Comissão de Estudo, o que será um marco muito importante para o Brasil na Normalização internacional. Também quero relembrar que estamos trabalhando, a pedido do governo, na norma sobre a utilização de retardantes para combater incêndio florestal. Essa Comissão tem se reunido semanalmente e já tem seu escopo, que engloba procedimentos de veículos de combate, comunicações, entre outros. Será uma norma que terá um produto ambientalmente adequado, protegendo a saúde humana.

Com a nova Lei de Liberdade Econômica, que afeta diretamente a normalização, se existir uma norma desatualizada com mais de 3 anos deve-se adotar uma norma internacional. Por esse motivo, o trabalho tem sido intenso e é de suma importância que tenhamos uma participação ativa na normalização tanto nacional, quanto internacional, para que seja possível defender o posicionamento brasileiro. Por este motivo, reivindicamos o apoio do MCTI para nos ajudar financeiramente a participar da normalização internacional, pois é o Ministério que mais está intimamente ligado à normalização e à ABNT”, complementou Esper.

Marcos Pontes citou a importância de criar redes de apoio com grupos já existentes no Ministério para tratar a questão do combate ao incêndio e também disponibilizou o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) para ajudar no que for necessário. Além disso, disponibilizou o apoio à ABNT para poder apoiar a participação internacional e desenvolver os trabalhos que são fundamentais para o País, e solicitou que todas as entidades participantes também colaborem para que isso seja possível.

Após a fala do Ministro, alguns pronunciamentos foram feitos. O vice-presidente da ABNT, Amilton Mainard deu as boas-vindas ao Ministro e ao Secretário, e ressaltou que essa parceria com o Ministério é muito importante. “Queremos oferecer soluções que são boas para o Brasil, portanto, o trabalho tem que ser em conjunto. Essa oportunidade de termos vocês como parceiros só engrandece o nosso trabalho”, afirmou Mainard.

Já o Prof. Roberto Spada, representante do MCTI no Conselho da ABNT, enalteceu a visão estratégia que a ABNT apresentou ao Ministro em reunião realizada anteriormente e disse que o Ministro tem capacidade de visão estratégica e de conhecimento excepcional, e se propôs junto aos demais Ministérios a pegar os enfoque estratégicos onde não temos representantes nos comitês internacionais e fazer com que tenhamos participantes presentes.

Marcos Heleno, presidente do Inmetro também se pronunciou dizendo que recentemente finalizaram o novo planejamento estratégico, onde a grande tônica foi a promoção da inovação. A questão dos desafios da indústria 4.0 também aparece na visão de futuro do Inmetro. “Deixamos claro para toda a sociedade, que a nossa visão de futuro é ser reconhecido como a caixa de ferramenta, um conjunto de soluções para ajudar o setor produtivo e a sociedade a superar os desafios da indústria 4.0.” Ainda aproveitou para agradecer a ABNT pela valiosa contribuição que fez junto à Fiesp na construção do Novo Modelo Regulatório. “Em decorrência desse novo planejamento, estamos promovendo um novo modelo regulatório, uma modernização da forma como o Inmetro faz a regulamentação de produtos e serviços, justamente para promover a inovação”, ressaltou Guerson.

Synésio Baptista, presidente da Abrac e da Abrinq enalteceu a importância da normalização para as indústrias, principalmente o que ele chamou de chão de fábrica, citando como exemplo as fábricas de bonecas, e aproveitou para fazer um convite ao Ministro, para que venha conhecer uma das fábricas para entender melhor como o setor está avançado, graças às normas técnicas.

Fabian Yaksic, da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee) parabenizou os trabalhos do Ministério e elogiou a criação de uma Comissão para preservar o meio ambiente do Mato Grosso. “A Abinee está à disposição para participar deste grupo e também apoiar a causa da participação na normalização internacional”.

Para finalizar, Mario Esper agradeceu novamente pela presença do Ministro e do Secretário e também fez o convite para que venham conhecer as instalações da ABNT.

Após a saída do Ministro, a reunião prosseguiu com os assuntos pertinentes à pauta do dia.