Ricardo Fragoso, Osmar Barros Junior. Joel Krüger, mario William Esper e Fabyola Gleyce da Silva Resende.

 

A ABNT marcou presença em Brasília, no 1º ENRI - Encontro Nacional de Relacionamento Institucional do Sistema Confea/Crea. A reunião ocorreu de forma presencial e remota e reuniu assessores e gerentes de relacionamentos institucionais.

Na abertura, participaram o presidente do Confea - Eng. Civ. Joel Krüger; o presidente da ABNT – Eng. Mario William Esper; o diretor-geral da ABNT - Eng. Ricardo Fragoso; a diretora Institucional do Confea e Conselheira Federal - Eng. Mec. Michele Costa Ramos; o coordenador do Colégio de Presidentes e Presidente do CREA-AM – Eng. Civ. Afonso Lins;  o coordenador do Colégio de Entidades Nacionais – Eng. Mec. Marco Aurélio Cândia Braga; o representante das Coordenadorias de Câmaras Especializadas dos Creas – Eng. Agrim. Lucas Barbosa Cavalcante; o superintendente de Integração do Sistema – Eng. Civ. Osmar Barros Junior; e o gerente da GRI – Eng. Eletric. Fabyola Gleyce da Silva Resende.

Em seu discurso, Fragoso elogiou a parceria que a ABNT tem com o Confea e disse que é de suma importância a participação de seus membros nas reuniões de Comissões de Estudo.

Já Mario William reforçou que com a pnademia, as reuniões estão acontecendo de forma virtual, o que facilita o acesso e a participação de todos os interessados, e que o Confea deverá receber as agendas das reuniões para que possam participar mais ativamente. Além disso, agradeceu pelo convite e pela parceria que as instituições mantém. Aproveitando o tema do encontro, informou sobre a publicação feita no ano passado da Prática Recomendada  ABNT PR 1001:2020 - Relações Institucionais e Governamentais (RIG), documento que fornece orientações e recomendações de conduta e de atuação pelas quais profissionais e organizações do setor devem se pautar em suas atividades. Além disso, ele também atende a demanda crescente por práticas éticas e transparentes no campo das Relações Institucionais e Governamentais e proporciona evolução nas formas de gestão do diálogo institucional entre representantes da sociedade e autoridades constituídas, visando entendimento permanente. Foi elaborada com base na experiência de organismos reconhecidos em âmbito mundial como, principalmente, a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), a Transparência Internacional e União Europeia.

"Quero destacar a contribuição do material da OCDE utilizado como referência, pois reúne normas e outros documentos de 40 países. Por sinal, a OCDE, da qual o Brasil participa desde 2017, recomenda que seus países-membros tenham legislação específica sobre o tema. A ABNT teve permissão oficial da OCDE para usar esse documento como base, reuniu os profissionais mais competentes do Brasil junto com a ABRIG e elaborou essa Prática Recomendada, que vem sendo muito bem vista e aceita pela sociedade brasileira", ressaltou Esper.

O presidente do Confea, Joel Krüger elogiou a atuação e participação da ABNT e disse que, como membro do Conselho vê as atividades das instituições como complementares, onde o Confea entra com especialistas em conhecimento técnico e a ABNT como Organismo de Normalização fundamental para o desenvolvimento das normas técnicas.