Foi realizada hoje (05/08), a instalação da Comissão de Estudo Especial de Produtos de Defesa (ABNT/CEE-300). A ABNT, mediante demanda de normalização no campo de Produtos de Defesa criou esta Comissão para discutir e estabelecer, por consenso, regras, diretrizes ou características para referido assunto.

A Comissão terá como escopo a Normalização no campo de produtos de defesa (PRODE), compreendendo uniformes; armamentos leves, como revólveres e pistolas; munições, incluindo insumo de munições ou de pirotécnicos; e produtos não letais, no que concerne a terminologia, classificação, requisitos, métodos de ensaio e generalidades.

A demanda surgiu ao final de 2019, quando a ABNT assinou um acordo com o Ministério da Defesa, cujo propósito era a criação da Comissão. Em abril de 2020, foram iniciadas as reuniões virtuais para definir o trabalho em conjunto da elaboração das normas técnicas de Produtos de Defesa.

A abertura foi feita pelo presidente da ABNT, Mario William Esper e pelo General Luis Antônio Duizit Brito, diretor do Departamento de Ciência, Tecnologia e Inovação (DECTI), da Secretaria de Produtos de Defesa (SEPROD), do Ministério da Defesa (MD).

Várias autoridades participaram da reunião, como: representantes das Forças Marinha do Brasil, Exército Brasileiro e Aeronáutica; CNI e representante do Sistema S; Comitês estaduais; Associações de Indústria e Sindicato; Comdefesa-RS; Comdefesa-SC; Condefesa-PR; Condefesa-SP; Comdefesa-RJ; Comdefesa-MG; Comdefesa-GO; Comdefesa-BA; Comdefesa-PE; Comdefesa-AM; Associação Brasileira das indústrias de Materiais de Defesa e Segurança (Abimde); Sindicato Nacional das Indústrias de Materiais de Defesa (Simde), e  representantes das empresas Condor; CBC; Taurus e Imbel.

Os próximos passos serão as reuniões de trabalho para elaborar os projetos de normas sobre o assunto.